terça-feira, 4 de agosto de 2009

Pilar, a razão de tudo





Um dia essa garotinha linda, fazendo um trabalho na escola, reclamou que sua árvore genealógica estava sem algumas folhinhas. Como explicar para minha filha que eu não sei NADA SOBRE MEU PAI?

Resolvi fazer esse filme para que ela entenda que alguns homens vão embora e se recusam a serem pais. Foi assim comigo e faz parte da nossa história. Viveremos com esse vazio, mas seremos felizes ainda assim...

Filha, será que meu amor por você pode substituir a falta do seu avô?

Eu juro que te amo demais!

16 comentários:

  1. Que lindoo. Analu Perdigão ;)

    ResponderExcluir
  2. Parabéns a toda equipe!
    Tenho certeza que esse trabalho será um sucesso.
    Conte comigo para divulgação.
    Bj-dani

    ResponderExcluir
  3. Susanna, Parabéns!!
    achei super legal isso.
    Abraços
    Roger e Familia

    ResponderExcluir
  4. SUZANA QUERIDA, QUE SURPRESA !!!
    PILAR, MARAVILHOSA EU FUI O SEGUNDO A ENCOSTAR A MÃO EM VOCE QUANDO NASCEU .DUPLA DE OURO!!!. PARABENS !!! AMO VOCES !!!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns por esse trabalho maravilhoso que eu tenho acompanhado alguns pedacinhos. Muito sucesso sempre.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Suzana, querida: quando li seu texto me arrepiei.Tem a sua cara, sensível e cheio de mensagens. Parabéns.Sucesso. Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  7. Susanna querida, pessoas sensíveis como vc é que fazem a diferença na nossa sociedade! Fico muito honrada de vc ter nos oportunizado a dar uma pequena contribuição participando desse lindo documentário!! Tudo que eu puder fazer pra ajudar a divulgá-lo, farei com o maior prazer!! Sucessooooooooo!!!!!
    Bjussss

    ResponderExcluir
  8. Mãe,obrigada por me colocar como inspiração dessa grande realização sua . Saiba que pra mim você e uma mae de ouro. Uma pessoa em que possa me refletir, e que me da um otimo exemplo de vida.
    Uma pessoa insubistituivel .
    Além de ser uma grande mãe e um exemplo de mulher.
    Agradeço a deus todas as noites por ele ter me dado um grande presente em que me acompanhará ate o final da minha vida !!
    Um grande beijo
    de uma pessoa que tenta seguir os seus passos para tentar sem a grande mulher que voce e , e que representa muito para mim .
    Te amo muito !
    Beijos
    Pilar Lira
    =D

    ResponderExcluir
  9. Pilar, mas será q vc é filha da Susanna? muito diferente!!!!! hhihi, brincadeira, né? Vc está simplesmente igual a sua momi!!! Beijo grande.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Susanna,
    Não sei se é pior ter um pai ausente ou não ter, ou melhor nunca ter conhecido e nem vislumbrar esta possibilidade. Enfrentei situações muito difíceis , às vezes constrangedoras, mas não deixei que essa falta me tirasse do rumo de minha vida. Hoje aos 49 anos, olho para trás e ainda me emociono com o que sofri por não saber quem é meu pai. A curiosidade jamais me deixará. Quando pequenina e depois adolescente, ao andar de ônibus, se um homem mais velho me olhasse e desse um sorriso eu pensava: bem que ele podia ser meu pai...
    Mas sempre procurei fazer com que as pessoas ao meu redor me valorizassem pelo que eu sou e não por não ter conhecido meu pai, por não ter um pai! E quando me perguntavam quem era meu pai eu nunca hesitei ou menti. Simplemente dizia que nunca o conheci.
    Fiquei muito feliz por saber que teremos um filme que abordará esse tema! Muitos sofrem com essa ausência e será uma oportunidade de tirar de dentro de cada um o constrangimento que por ventura exista!
    Parabéns! Estou ansiosa por seu filme!
    Um grande abraço,
    Beatriz Moraes

    ResponderExcluir
  12. Susanna,
    Maravilhosos esses registros, esse making off, documentando essa construção.
    Senti falta de mais Brasília, especialmente de "nosso" tão especial Alexandre e seu menino, seu "pai". Posta ele aí, vai!
    O maior abraço, a maior força.
    Com carinho,
    Ana Liési

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. eu fui criado por meus pais porem tenho dois irmaos que não usufruiram desse deleite,um sentiu parcialmente a presença do pai o outro se quer o conhece até hoje,eu é que o tenho procurado porque acredito que irmaos filhos e pais devem sempre estarem juntos pois a familia é nosso primeiro encontro com o outro para entendermos a nós mesmos.

    ResponderExcluir
  15. Susanna ...
    De fato, filho foi feito pra PAI e MÃE...
    De fato, filho é opção de vida ( se vc não quer "ter o trabalho"... NAO TENHA !!! )
    O que vc acha de ser órfão de pai vivo ?
    O que vc acha de pai que terceiriza a responsabilidade dos filhos para os avós?
    Aqui ... o discurso é muito bonito ... mas tem pai que não merece conhecer, conviver com seus filhos... pois são no mínimo, um péssimo exemplo.

    ResponderExcluir